Moedas digitais não afetarão as sanções dos EUA, diz executivo do Tesouro



Moedas digitais do banco central (CBDC), como o rublo digital da Rússia, não representam qualquer ameaça às sanções dos Estados Unidos, de acordo com o secretário adjunto do Tesouro dos EUA, Wally Adeyemo.

Em entrevista à CNBC na quarta-feira, Adeyemo argumentou que o dólar americano “continuará a ser a moeda dominante no mundo”, apesar da crescente popularidade das criptomoedas.

Adeyemo destacou que os ativos digitais fornecem uma “oportunidade de várias maneiras” para a economia dos EUA, mas também estão associados a muitos desafios, como lavagem de dinheiro. No entanto, existem maneiras de combater isso a fim de se beneficiar do crescimento da indústria, disse o funcionário:

“Acreditamos que, em última análise, trabalhando em conjunto com países ao redor do mundo, podemos enfrentar esse risco apelando aos criadores de ativos digitais para seguirem mais de perto as regras de combate à lavagem de dinheiro.”

Adeyemo também sugeriu que as moedas digitais dos bancos centrais globais não estão associadas a nenhum risco em termos de sanções dos EUA.

“Acreditamos que mesmo se um rublo digital ou outras moedas digitais entrarem em vigor, ainda haverá espaço para que nossas sanções tenham um impacto sobre suas economias simplesmente porque a economia global ainda está interconectada”, disse ele.

O funcionário continuou, dizendo que as empresas na Rússia fazem muitos negócios ao redor do mundo, muitos deles sendo feitos em dólares americanos com instituições financeiras americanas porque a “economia americana continua a ser a maior economia do mundo”.

“Enquanto for esse o caso, e enquanto fizermos os investimentos necessários, ainda teremos a capacidade de usar o nosso regime de sanções para garantir que impedimos o que foi criado para prevenir,” o oficial observou.

Os comentários de Adeyemo vêm logo após o oligarca russo Oleg Deripaska pediu ao governo russo para adotar Bitcoin (BTC) como uma ferramenta para evitar as sanções dos EUA e enfraquecer o dólar dos EUA. “Os Estados Unidos perceberam há muito tempo que os pagamentos digitais não controlados são capazes não apenas de anular a eficácia de todo o mecanismo de sanções econômicas, mas também de derrubar o dólar como um todo”, argumentou ele no mês passado.

Relacionado: Tesouro dos EUA diz que deve ‘modernizar e se adaptar’ às moedas digitais

Em outubro, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia também reiterou os planos da Rússia de reduzir a participação do dólar dos EUA nas reservas internacionais da Rússia como parte do país plano para evitar desafios impostos por sanções do governo dos EUA.

Os EUA impuseram uma série de sanções à Rússia nos últimos anos por motivos como suspeita de envenenamento de políticos da oposição, interferência eleitoral e ataques cibernéticos.